Detox

Em uma linguagem mais simples, podemos dizer que destoxificação é a redução das propriedades tóxicas de uma substância. Ou é a limpeza das toxinas ou substâncias biologicamente ativas produzidas por nossos órgãos e células e que é realizada, principalmente, pelo fígado, pele, rins, pulmões e intestinos; permitindo melhor funcionamento do organismo.

 

No fígado estão localizadas aproximadamente 60% das enzimas (proteínas que fazem essas reações) de destoxificação e, no intestino, encontram-se em torno de 20%.  O principal objetivo destas reações consiste em transformar as toxinas, que normalmente são lipossolúveis, em moléculas menos lipossolúveis ou hidrossolúveis, visando a sua excreção urinária ou biliar.

 

Esse processo de destoxificação ocorre em 3 fases. Fase 1: a biotransformação de substâncias tóxicas pode, inicialmente, elevar a toxicidade das mesmas levando a consequências danosas ao organismo.  O aumento da concentração de um composto mais tóxico na fase I, que pode permanecer acumulado no hepatócito e em tecidos extra-hepáticos, podendo causar danos à célula ou ao sistema.

A fase II da destoxificação corresponde à uma série de reações de adição de moléculas e\ou grupos químicos às substâncias formadas na fase I, visando sua inativação biológica, com consequente redução

de toxicidade. E a fase III é a eliminação dessas toxinas do nosso organismo.

 

Existem situações que dificultam o processo de destoxificação tais como presença de doenças crônicas, elevada exposição e ingestão de toxinas ambientais e disbiose intestinal. Idade e estilo de vida inadequado, bem como a alimentação carente em vitaminas, minerais e antioxidantes também prejudicam este processo.

 

O constante contato com contaminantes levam a um aumento da necessidade destoxificação. Os principais contaminantes que estamos expostos são: agrotóxicos, alumínio, metais pesados (ex: arsênico – peixes/ frutos do mar/ herbicidas, inseticidas, mercúrio, chumbo - fertilizantes, panelas, utensílios - dentre outros),

 

Migrantes de embalagens. Os migrantes de embalagem - plásticos, são derivados do petróleo, formados por uma mistura de aditivos – ftalatos (+ 50 substancias que garantem flexibilidade e cheiro característico do plástico, reveste tampa metálica de frascos de iogurte) e bisfenol A (é aplicado na parte interna de latas e pode ser arrastado para dentro de um alimento quando ou meio é lipídico, ácido ou em altas temperaturas). A migração destes aditivos presentes nos plásticos até os alimentos é, sem dúvida, pequena, mas, após longo prazo de ingestão, manifestações clínicas podem ocorrer.

 

A dieta diversificada pode auxiliar no processo de destoxificação garantindo aporte de nutrientes (vitaminas, antioxidantes, aminoácidos) essenciais neste processo. Além disso, é extremamente importante associar a dieta aos cuidados de minimizar a exposição às toxinas - drogas, bebidas alcoólicas, agrotóxicos, etc.

 

Agende sua consulta com a nutricionista

Somente consultas particulares. Não temos convênios.

Rua Bernardo Guimarães, 2717 | Sala 1101 | Santo Agostinho 

Belo Horizonte | MG | CEP 30140-082

(31) 2573-0090

(31) 99199-2929

contato@silviaferolla.com.br

 

© 2017 Silvia Ferolla

WhatsApp.png